Dicas de otimização para distribuidores

SIG 2000

Neste artigo, separamos algumas dicas de ouro relacionadas à otimização, especialmente para distribuidores. A leitura, de fácil assimilação, será bem rápida. A partir dela, ações de gestão poderão ser pensadas e tomadas, visando à eficiência do seu negócio. Acha que vale a pena?

Sabemos que, em meio ao dia a dia repleto de atividades, nem sempre a inclusão de novas medidas é prioridade. Porém a mudança é fundamental para que resultados diferentes sejam alcançados. E, com nossas dicas, eles poderão ser promissores.

Priorize o planejamento

Dedicar-se ao planejamento é a melhor atitude a ser tomada antes de realizar qualquer projeto. Muitos pulam essa etapa, acreditando ser um procedimento desnecessário. No entanto, ele traz mais eficiência, praticidade e aponta o melhor caminho a ser seguido, evitando desperdício de recursos e, é claro, de tempo. Planejar é trabalhar estrategicamente, com a definição do passo a passo que levará ao atingimento do objetivo do negócio.

No contexto da logística de distribuição e transporte, o planejamento deve ser completo, abrangendo desde o recebimento dos produtos, passando pela gestão do estoque, até a chegada deles às mãos do cliente. Afinal, se o processo apresentar gargalos ou impedimentos para a conclusão de atividades, eles poderão ser identificados e corrigidos em tempo hábil para não prejudicar a produtividade da empresa.

Use um mapa

O mapa é um grande auxiliar dos distribuidores. Com o recurso, todos os pedidos mensais da empresa podem ser visualizados em um mesmo espaço, facilitando a organização e a logística das entregas. Para isso, insira informações como nome do cliente, preço, prazo de entrega e distância percorrida ao lado de cada ponto marcado.

Quando as informações estão dispostas de forma visual, acessível e didática, é possível fazer escolhas acertadas. Quer alguns exemplos? Basta pensar na escolha dos melhores meios de transporte para distribuição, na identificação dos pedidos mais rentáveis, que podem exigir condições especiais, e também aqueles que não compensam a entrega. Esses dados já dão um norte seguro e eficiente para o planejamento das rotas.

Aposte nas parcerias valiosas

Ao falarmos de parcerias, o primeiro ponto de atenção deve ser a escolha de fornecedores confiáveis. É desejável que eles compartilhem os mesmos valores praticados por sua empresa. Afinal, se eles falharem em qualquer etapa — atrasando a entrega, por exemplo —, isso terá efeito negativo nos processos e na reputação de sua empresa.

A garantia do bom relacionamento depende de alguns fatores. Entre eles, destaca-se a comunicação eficiente com a integração de dados. Sistemas informatizados funcionam muito bem nesse sentido, automatizando fluxos e mitigando a chance de erro.

Calcule o ROI de suas ações

Não é possível determinar se uma medida deu certo sem mensurar os resultados. Nesse sentido, o retorno sobre os investimentos (ROI) aparece como um recurso importante nas ações, principalmente de marketing, de uma empresa. Ele reúne indicadores de desempenho e métodos claros, capazes de tornar a gestão segura e estratégica.

Quer aprender a calcular o ROI?

ROI = (Retorno do Investimento – Custo do Investimento) / Custo do Investimento.

O resultado pode ser multiplicado por 100 para se chegar ao valor em percentual (%).

Se, por exemplo, você teve um retorno de R$ 5.000 em uma ação cujo custo foi R$ 2.000, o ROI é equivalente a 150%. Saber essa informação orientará a tomada de decisão, apontando as ações que deram certo e errado, discriminando as mais rentáveis. Fácil, não é? Mais fácil ainda é ter, ao seu alcance, um sistema de gestão que aponta esse indicador automaticamente.

Conte com a tecnologia

O Brasil se destaca quando falamos em tecnologia entre os países da América Latina. Para você ter noção, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Software (Abes) e da consultoria IDC, em 2017, o país foi responsável por 45% da receita gerada nessa região. Portanto, não dá para ignorar o tema ao abordarmos o mercado atacadista e distribuidor.

Sistemas de gestão facilitam, organizam e tornam a rotina de trabalho mais precisa. E o melhor: não é preciso pagar muito por isso. Contudo, cabe a cada negócio definir suas necessidades de otimização antes do investimento em tecnologia de informação (TI).

Observou que usamos a palavra investimento? Isso foi proposital. Se você deseja alcançar o sucesso, aprenda a diferenciar o uso das palavras custo e investimento. Esta última traz retorno e resultados mensuráveis.

Sabia que um único software possibilita a gestão completa das áreas de finanças, compras, estoque e vendas? Com o recurso, são disponibilizados módulos integrados e de fácil utilização, incluindo NF-e e SPED Fiscal/Contribuições. Vale a pena investir!

Gostou de conhecer as nossas dicas para otimização de distribuidores? Preparamos este conteúdo pensando em apontar medidas para deixar a sua gestão mais eficiente. Aproveite a visita para aprender mais, acessando o nosso conteúdo com o Passo a passo para gestão.

Deixe uma resposta